Skip to content
transpirar durante a noite e o sono é um suor noturno

Suores noturnos: causas e como prevenir sudorese noturna 

O suor durante o sono, especialmente durante as épocas mais quentes do ano, é resultante de um processo natural do corpo para regular sua temperatura interna. No entanto, quando o suor noturno acontece mesmo em dias frescos ou frios, pode ser hora de procurar um médico.

Veja a seguir o que causa suor noturno e descubra como lidar com o problema e o que fazer para diminuir o suor ao dormir.

Suor noturno: causas

O suor noturno ocorre quando o corpo esquenta muito durante o sono. Isto pode acontecer devido aos seguintes fatores:

  • Doença ou febre
  • Infecções
  • Efeitos colaterais de medicação
  • Pijamas de malha grossa e roupa de cama pesada
  • Apneia do sono
  • Hipoglicemia, ou baixa quantidade de açúcar no sangue
  • Álcool ou uso de drogas
  • Hiperidrose - saiba mais sobre hiperidrose aqui.
  • Distúrbios hormonais

Suor noturno: o que pode ser e como identificar problemas mais sérios

Segundo o dermatologista Caio Lamunier, da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e do Hospital das Clínicas de São Paulo, o suor noturno pode ser um sintoma de várias doenças ou desbalanços hormonais.

Nos casos mais comuns, a febre causada por alguma infecção ou gripe pode ser o gatilho da sudorese. A hipertermia, que é o aumento da temperatura corporal, também pode ser o fator. Ela é causada quando se usa muito cobertor, por exemplo. “Descartados os motivos óbvios, o suor noturno pode indicar outras complicações”, explica o médico.

Uma delas é a alteração metabólica causada pelo excesso de álcool ou por doenças como a diabetes. Nesses casos, o suor surge quando há falta ou excesso de glicose no sangue. É muito comum que aconteça à noite porque é o período em que se fica mais tempo em jejum. “É um sinal de que a pessoa pode ter diabetes ou de que a doença não está controlada”, diz. Veja mais aqui sobre como a alimentação pode contribuir para o suor em excesso. 

Outro fator são as doenças neurológicas, já que o cérebro é o órgão responsável por regular a temperatura corporal. Assim, o suor noturno pode indicar enfermidades como o Parkinson e o Alzheimer. Há ainda os desbalanços hormonais, como alterações na tireoide, a menopausa no caso das mulheres e os efeitos colaterais causados por medicamentos – você encontra mais informações sobre o assunto aqui

“Se não houver um fator claro, como febre ou hipertermia, suar ao dormir é um sinal de alerta para um problema oculto. A indicação é que se procure um médico”, ressalta o Lamunier.

Como acabar com a sudorese noturna?

Para os casos descritos acima, é necessário buscar conselho de um especialista e consultar um médico, que irá indicar o tratamento necessário que deve atuar na causa do problema. 

Entretanto, quando a origem do suor durante o sono não for patológica, algumas mudanças de hábito podem ajudar a conter o suor noturno:

  • Use roupas mais leves para dormir.
  • A sudorese noturna ode se dar pelo uso de roupas e cobertores muito quentes – por isso, prefira tecidos leves e de fácil transpiração na hora do sono.
  • Mantenha o seu quarto fresco e ventilado durante a noite.
  • Evite alimentos picantes ou o consumo de álcool, cigarros e cafeína, que acabam contribuindo para suor noturno. 

As glândulas sudoríparas são menos ativas à noite, sendo o melhor momento para aplicar o desodorante. A pele limpa, seca e sem a interferência do suor absorverá o antitranspirante de forma eficaz, garantindo maior eficácia contra o suor até o dia seguinte. Rexona Clinical protege até 3 vezes mais que um antitranspirante comum, ideal para quem busca proteção intensa. 

Como a transpiração noturna ocorre em todo o corpo, aplicar um produto antitranspirante somente vai ajudar a combater o suor nas axilas. Então se você sofre com suor noturno excessivo regularmente, até o ponto de as roupas ficarem muito umedecidas, é recomendável buscar aconselhamento médico.

Mais Rexona