Skip to content
como parar de transpirar para homem e mulher

Você sabia que a sudorese excessiva pode ser um problema genético?

Mãos molhadas, costas pingando ou axilas encharcadas. Se você sofre com a sudorese, sabe o quão desagradável o problema pode ser. Pessoas nessas condições se perguntam com frequência os motivos que as levaram à condição, já que o suor excessivo traz inúmeros prejuízos para a vida social.

A hipótese mais aceita pela medicina até agora é de que pessoas que suam além do comum tenham predisposição genética. Estima-se que algo em torno de 30% a 50% dos pacientes que sofrem com a sudorese excessiva possuam um parente de primeiro grau, como pai ou mãe, com o mesmo problema. 

Nesses casos, a doença é chamada de hiperidrose primária e geralmente se inicia na infância ou adolescência. É importante diferenciá-la da hiperidrose secundária, que é adquirida ao longo da vida por outros fatores, como distúrbios hormonais, doenças neurológicas e reações a medicamentos.

A sudorese excessiva é um distúrbio que atinge entre 2% e 3% da população mundial, mas pouca gente com a condição busca ajuda médica. A doença não é considerada grave e, de modo geral, pode ser resolvida com procedimentos simples. Em casos leves, por exemplo, o uso prolongado de antitranspirantes ajudam a bloquear os dutos de suor, controlando a sudorese. Já em casos que pedem um tratamento mais intenso, Rexona Clínical traz um nível alto de ativos que colabora no combate desta condição de saúde.   

Outros tratamentos incluem aplicação de toxina botulínica, o botox, uso de medicamentos, pomadas e cirurgia. Os procedimentos variam de acordo com o tipo e o grau de sudorese do paciente. Para saber mais sobre o tema, clique aqui (sugestão de link do FAQ sobre hiperidrose).


Mais Rexona